domingo, 31 de agosto de 2008

muro das lamentações.

Por todos os lados escuto e leio lamúrias,mas, o pior nisso tudo é ler e escutar dos melhores lados.
Há tanta queixa que não sei como me ocultar diante disso.
Penso que não há do que lamentar quando se tem um teto, quando se tem comida, quando se tem uma família.
Acredito que não há porquê tanto lengalenga de desgraça quando se tem saúde, estudo e música.
Querer sempre mais não é lamentar o que não se tem.
Querer mais é reconhecer e relevar o que se tem, o que se construiu e se entusiasmar para construir mais.
E isso até pode ser demais, não faz mal.

Faz mal é se lamentar por nada diante do que realmente é lamentável.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

não há.

não há o que temer

se nada estremeceu

tampouco há o que perder

se não era para ser teu.

domingo, 17 de agosto de 2008

fim do dia.

Demora tanto, demora tanto pra crescer
Pra depois de uma hora pra outra morrer
Tem que mamar, tem que comer e beber
Deixar vir e ir sofrimento e prazer

Não há o que lamentar
Quando chega o fim do dia

Um cara que anda tem que chegar em algum lugar
Um cara que trabalha trabalha trabalha deve se cansar
O cara estuda tanto e ainda tem tanto pra aprender
Passa o tempo e fica mais fácil esquecer

Não há o que lamentar
Quando chega o fim do dia

Não há o que lamentar
quando chega o fim do dia
Se despede da sua dor
Diz adeus à sua alegria

Não há o que lamentar
Quando chega o fim do dia

_Arnaldo Antunes.

E quando no fim do dia você se depara com um show desses?
Aí eu canto novamente:
"Não há o que lamentar
Quando chega o fim do dia"

Teresina agora tem 156 anos e quem ganhou o presente fui eu.
Teresina está de Parabéns.
Teresina tem defeitos como toda cidade tem.
Mas eu a quero bem.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

'Sou Florianense de Teresina.'

Foto de Emanuelly Barros.
Av. frei Serafim.

Teresina - Piauí - Brasil.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

teoria da ciência inexata.

Abri uma porta e enquanto girava a chave levei um choque.
A outra pessoa, baseada em suas teorias, disse que o choque era sinal de estresse.
Um físico no seu lugar diria que era a tal da energia estática.
Sei não, mas eu prefiro acreditar na teoria da ciência exata.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

não mais.

eu comi daquele leite e bebi a doce fruta do lugar que somente nós conhecemos.
nós que não somos feitos de aço.
e que não mais sentimos o nosso abraço.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

não é quimera.

a sensação é de que
é o silêncio mais barulhento.
diria, ensurdecedor.
sensacional.
sai da alma.
alcança a superfície.
e melhor,
da maneira mais sutil possível.
só sentindo para crer.