quarta-feira, 25 de maio de 2011

sobre aquele som.



Bossa,

não posso escutá-la

ao menos por estes dias

porque meu corpo se agita

e, neste momento, ele não pode se erguer no mar para ficar calmo.

meus olhos brilham com a lembrança de uma Nova

e a noite só vem para aguçar a vontade de estar lá

naquele Rio que é de Janeiro

seja para olhar aquele Morro ou deitar nas pedras daquele que Arpoa.

sábado, 21 de maio de 2011

no jardins.


Se todo carnaval tem seu fim,
Todas as virtualidades também.
Conosco, elas tiveram seu fim, ali, no começo...
Quando nos encontramos no Jardins.
Talvez a falta das flores provocou o dissabor dos aromas que elas exalam.
Na terra da garoa, os pingos não foram outra vez de amor
E na promessa de voltar,
Preferiu ir para outro lugar.